Câncer de intestino, aqui está o alarme que você nunca deve ignorar

Os piores males são aqueles que não avisam e por isso, muitas vezes, percebemos tarde demais. Esse é o caso de muitos cânceres que são diagnosticados quando começam a apresentar sintomas e já estão bastante avançados. Entre eles está o câncer de intestino, também chamado de câncer colorretal, que é o quarto tipo de câncer. Se pego a tempo, as chances de cura desse câncer aumentam e há, nesse sentido, um sintoma inconfundível que pode ser decisivo para um diagnóstico precoce.

O intestino é a última parte do nosso sistema digestivo e é muito importante para a absorção de nutrientes. Na verdade, o câncer de intestino costuma ser acompanhado por evidente perda de peso, um sintoma do fato de que as substâncias não são bem absorvidas. Outros sintomas típicos desta patologia são bastante comuns e por isso tendemos a ignorá-los: dores no abdómen, obstipação, dificuldade e dor ao defecar, fadiga, fadiga respiratória.

 

As causas do aparecimento desta doença podem ser muitas. Pode ser de causa genética, se tiver outros casos na família, mas até um estilo de vida ruim pode favorecer a patologia. A idade também parece ser um fator determinante, aumentando muito o risco para homens com mais de 50 anos. Finalmente, outras doenças, como diabetes tipo 2 e algumas doenças autoimunes, como doença de Crohn e colite ulcerativa, também podem ser a causa de tumores intestinais.

Entre os vários sinais que o nosso corpo nos dá, há um que é verdadeiramente inconfundível e que deveria ligar a lâmpada. Este é o achado de sangue nas fezes. Na verdade, os cânceres colorretais são sempre acompanhados de sangramento, razão pela qual aqueles que sofrem com isso apresentam um baixo nível de hemoglobina no sangue, muitas vezes insuficiente para oxigenar o corpo de forma adequada (anemia). Felizmente, o câncer de intestino, se detectado no início e no primeiro estágio, pode ser curado em 9 entre 10. Portanto, é muito importante prestar atenção aos sintomas para facilitar um diagnóstico precoce da doença que pode, literalmente, salvar nossas vidas.